terça-feira, 31 de março de 2009

A história do meu nome

Durante os meses de fevereiro e março deste ano estivemos participando de oficinas no Museu da Pessoa, parte do projeto Ponto Brasil, da Tv Brasil. Nestas oficinas aprendemos a metodologia do Círculo de Histórias - que usaremos em um de nossos filmes de 5 minutos, o "Corposinalizantes".

Abaixo a história contada por Felipe Lima:

video


Vídeo: Gabriel (Museu da Pessoa)

Corposinalizante

sexta-feira, 20 de março de 2009

QUEREMOS LEGENDAS NOS FILMES NACIONAIS!

Os cartazes que usaremos em nossa intervenção estão ficando prontos...
Eles serão objeto do filme "Atrás do Mundo", nosso primeiro filme-manifesto!! Agradecemos muito ao Peetssa, fotógrafo-poeta e sempre companheiro nos caminhos...





fotos: Peetssa
Corposinalizante

segunda-feira, 16 de março de 2009

Duas referências para nossos filmes

O filme "Now!", do cubano Santiago Alvarez, de 1965.
Tem 5 minutos e usa muitas imagens da mídia ao longo do tempo de uma música.




Outra referência foi sugerida pela Camila, do Museu da Pessoa. É um trecho do filme "Santiago", de João Moreira Salles, no qual um personagem "dança com as mãos".




Corposinalizante

sábado, 7 de março de 2009

Roteiro do filme 2: um "vídeo manifesto"

Tema: O Invisível
Título: Atrás do Mundo

Argumento:
O filme "Atrás do Mundo" será um manifesto poético (um filme-manifesto) sobre a falta de legendas em português na produção nacional: existem mais de 5 milhões de surdos no Brasil (dado do IBGE) que não podem assistir a produção nacional por falta de legendas em português. O mote principal do filme será a frase, escrita pelos surdos e já utilizada em vários suportes como forma de manifestação: "Queremos legendas nos filmes nacionais".

"Atrás do mundo" porque aí está contida também uma idéia de que as coisas estão sempre atrás ou adiante de outras coisas, ou seja, sempre compreendemos as coisas a partir das relações estabelecidas entre elas. Assim, a língua é em si uma ferramenta fundamental que "media" o pensamento: não há pensamento sem lígua e linguagem. Então, é como se a legenda fosse também algo que media a relação entre espectador-obra neste caso, que está "à frente" de um mundo enorme que pode se descurtinar, ou não.


Idéia audiovisual:
A idéia é criar um filme-manifesto, no qual o antes-durante-depois de uma intervenção nas ruas da cidade de São Paulo será o mote principal.

O filme começará com cenas de programas de Tv e filmes nacionais sem áudio (entram alguns áudios em poucos momentos). Após este desconforto, entram imagens do grupo de surdos realizando uma intervenção nas ruas da cidade - a colagem de cartazes em 3 lugares: na frente da Globo, Conspiração Filmes e na porta de uma sala importante de cinema.

Nestes cartazes os jovens do Corposinalizante estão falando em Libras: "queremos legendas nos filmes nacionais". Em baixo das fotografias terá legenda em português, com a frase escrita, subvetendo o papel de cada língua.

Durante a intervenção, o Alex, um surdo militante por legendas da comunidade surda, dará alguns depoimentos, olhando de frente para a câmera, pontuando a urgência da questão (quantos surdos existem no Brasil, desde quanto estão lutando por legendas em português, como está o projeto de lei criado em 2007 para isso etc.)

Em um dos três lugares escolhidos, pretendemos entrevistar algum personagem importante do universo audiovisual, para lhe perguntar sua opinião sobre a questão e como isso está (ou não) se desenrolando como política cultural.


Objetos:
Cenas de telenovelas e filmes brasileiros sem áudio (entram alguns áudios rápidos para dar contraste).

Grupo de jovens surdos colando cartazes nas ruas da cidade, protestando a favor de legendas em filmes nacionais: "Queremos legendas nos filmes nacionais".

Um surdo militante (Alex), dando depoimento de frente para a câmera, colocando em contexto esta urgência da comunidade surda.


Pessoas que passem durante e depois da intervenção terminada - mostraremos as reações, olhares, frente à frase.

Entrevista com um personagem importante do universo audiovisual (da Globo ou Conspiração).


Especificações das ferramentas audiovisuais:
O filme começa com cenas de telenovelas e filmes brasileiros sem áudio (entram alguns áudios rápidos para dar contraste). Manipularemos um pouco estas imagens. Não podemos usar "ápices" das produções, mas podemos fazer como uma "zapeada" na televisão;

Entram imagens de rua, cidade, o grupo de jovens surdos fazendo intervenções, colagem de cartazes com o dizer: "queremos legendas nos filmes nacionais", na porta da Globo, da Conspiração Filmes e de uma importante sala de cinema;

Serão capturadas as imagens de transeuntes que pararem para olhar, perguntar. Durante a intervenção, o Alex, surdo militante por legendas, dará depoimento de frente para a câmera (performáticamente/enérgicamente), contextualizando a importância da luta por legendas.

(Vamos pesquisar se estará acontecendo algum importante festival de cinema no momento, para daí escolhermos a melhor "porta de cinema" para a colagem).

Em uma das três locações (Globo ou Conspiração) faremos uma entrevista com algum "notável" do universo audiovisual, perguntando sobre o andamento desta demanda, sobre sua opinião, etc. (a idéia é, na edição, revelar o "blá blá blá" deste discurso, o quanto "políticamente correto" será, brincando também com o áudio - entra e sai áudio do discurso).

Pesquisaremos sobre o andamento do Projeto de Lei nº 1.078/2007, que obriga legendagem em português na produção nacional. Pretendemos colocar esta lei em forma de GC, no final do filme.

Outro trecho interessante para colocarmos no final do filme:

Artigo 215 da Constituição Federal:
O Estado garantirá a todos, o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais.

Corposinalizante